emec

Profissão designer: as diferentes carreiras que você pode seguir

Profissão designer. Conheça os principais cursos e áreas de atuação para esse profissional.


Designer é um termo abrangente, que categoriza uma série de profissionais de perfil criativo, voltados à produção de conceitos visuais e  ilustrativos, exercendo influência no consumo de produtos, serviços e até no lazer!

Hoje, vamos mostrar as principais carreiras do design para quem se forma ou deseja fazer algum dos cursos. E ainda, como esses profissionais atuam, quais suas funções, quais ferramentas usam, quais suas formações e qual propósito ou mercado de trabalho que os diferenciam.

O que faz um designer e quais as carreiras desse profissional?

"To design” significa conceber, projetar ou planejar algo imagético: um “desenho”. Sendo assim, o designer é criador de projetos demonstrativos e visuais, que comunicará algo e estabelecerá um canal de informação através daquilo contido exclusivamente no visual.

Para atuar como designer, é comum pensar na profissão de designer gráfico, mas existem muitas possibilidades na área do design, o que significa que existem diversos setores de atuação para esses profissionais. 

Veja as profissões e setores de trabalho para quem deseja seguir na área de design.Designer gráfico-1

Designer de interiores

Essa profissão é a  que mais permaneceu fiel à capacidade artística no sentido tradicional; o designer de interiores ainda utiliza muito a técnica em torno do material físico, como lápis, pincel, paleta de cores, etc.

Trabalha, principalmente, com a concepção de um ambiente; em seu sentido estético, prático e otimização do mesmo. São tarefas que consideram a finalidade do espaço onde deseja-se realizar um evento, também atendendo ao teor e duração dele. 

Têm uma rotina prática que se assemelha à de um arquiteto — mas atentam-se ao aspecto estético exclusivamente, enquanto o primeiro designa especificações um tanto mais técnicas a respeito da estrutura em si.

Os designers de interiores podem realizar projetos como: mobiliário e disposição do mesmo, criação de uma peça de mobília única, elaboração de uma decoração para evento, organizar uma nova disposição dos cômodos de um apartamento para eventual reforma, conceber um consultório, escritório, etc.

Por mais que seja uma rotina atrelada à criação com materiais mais tradicionais, podem utilizar softwares como o AutoCad ou SweetHome3D — e muitos outros como este — para ajudar na criação mais básica de maquetes virtuais.

Designer de moda

Outra área conhecida dentre as carreiras do design é a de Moda, muito focado na noção estética e estilística aplicada à concepção de um artigo de vestuário. Para essa profissão é essencial um senso criativo e estar antenado com as tendências.

O designer de moda trabalha com materiais tradicionais, frequentemente desenhando esboços e contornando tecidos para a elaboração de uma peça de roupa a ser recortada, por exemplo. 

É um setor mais voltado ao trabalho prático, tendo noções de como operar materiais e máquinas de costura, além dos próprios materiais artísticos. Muito mais focada no trabalho manual envolvido na concepção artística do que os colegas de outros setores.

O que não significa que não possa utilizar softwares e recursos digitais diversos — na verdade, é uma necessidade desse profissional realizar materiais para divulgação de seu trabalho como: vídeos, campanhas e coleções.

O design de moda ainda conta com uma noção muito mais cultural do que suas vertentes irmãs, sendo mais requisitada uma identificação com o produto pelo consumidor. Isso faz com que o designer de moda seja uma pessoa atenta aos padrões étnicos e culturais de uma vestimenta.

Adequar uma coleção ou desfile ao público-alvo é central para o sucesso do design de moda, assim como a noção de trabalho com cada tipo de material têxtil e cada método de desenho expressivo.

Designer gráfico

O curso superior mais completo, que permite uma atuação mais aberta no meio digital sobre as carreiras do design, é a do design gráfico. Trata-se de curso que foca na criação de conteúdo visual, desde imagens, logos e layouts até fotografia, composição de cores e desenho tradicional.

Por isso, é uma formação de extensa versatilidade, principalmente levando-se em conta o fato de que o maior mercado para designers é o digital. Com a popularização de softwares e plataformas de apoio às vendas online, foi necessária uma expertise própria de designers.

Estamos falando de layouts, mas não só deles: outros recursos como os Ads de sites e identidades visuais de empresas são um serviço muito requisitado. Empresas que focam numa estratégia correta — a de engajamento com o cliente — precisam ser representadas.

Isso é efetuado com o foco em atrelar uma logomarca ou imagens vinculadas à percepção visual a respeito da empresa ao conteúdo divulgado. Blogs, newsletters, vídeos, e-books e mais tipos de conteúdos têm uma parte visual integral à composição dos mesmos.

Seja diagramação, inserção de marca d’água ou recursos similares, há uma preocupação de transparecer, visualmente, um sentimento ou aparente status de algo. Designers gráficos têm essa preocupação a respeito de produtos ou conteúdos, independente do trabalho.

É necessária uma preocupação com aspectos étnicos, sociais e culturais no design. Essas características são integrais para a inserção de uma mensagem em um público, pois isso depende da recepção visual de um conteúdo ou produto.

Se você quer ingressar nessa formação, venha conhecer tudo sobre a formação com nosso e-book, que foi desenvolvido para entregar detalhes a respeito da rotina do designer gráfico e a grade curricular do curso de Design Gráfico e muito mais.

 

 

Leia mais:

Design gráfico: curso, mercado de trabalho e meios de se destacar na profissão

Como fazer um portfólio?

Os melhores cursos para fazer uma segunda graduação

Ebook Curso de Design Gráfico

POSTS RELACIONADOS