<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=775767832961976&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

5 dicas para entrar na carreira acadêmica com sucesso

Descubra 5 passos importantes para conseguir ingressar na área acadêmica e se transformar em um(a) pesquisador(a)!


Confira dicas e insights para você que quer descobrir como se tornar um pesquisador. Aqui você vai entender como está o mercado para a pesquisa, como fazer networking e como se destacar nos processos seletivos. Aproveite a leitura!

Quem deseja ser pesquisador sabe que a área acadêmica é um setor disputado, contudo, não precisa se preocupar: a carreira acadêmica pode ser mais acessível do que você imagina.

Para ter sucesso sendo pesquisador é importante praticar alguns pontos desde a graduação e ter atenção a certos passos que vamos abordar ao longo do texto, que te farão ter maior destaque em relação aos demais profissionais.

Além disso, saiba que é uma área que precisa de atualização constante! 

quero-ser-um-pesquisador

 

Quero ser pesquisador(a)!

Se você tem vontade de trabalhar como pesquisador(a) na área acadêmica, existem alguns passos que você pode dar ainda na graduação que irão lhe render bons frutos frente à concorrência.

Separamos cinco deles que consideramos essenciais para todo profissional que deseja se tornar um pesquisador(a). Confira quais são:

 

1. Faça parte de grupos de pesquisa/iniciação científica na graduação

Assim como os estudantes que decidem seguir carreira no meio corporativo, quem quer se tornar um pesquisador(a) precisa começar a jornada ainda na graduação.

Os grupos de pesquisa ou de iniciação científica servem como um estágio para quem quer ser pesquisador(a). Esses ambientes são uma “amostra” da atuação na área acadêmica,  te proporcionando um maior contato com a rotina desse setor.

Nos grupos de pesquisa é desenvolvido o contato com autores importantes para a sua área de estudo. Já na iniciação científica, você terá maior intimidade com técnicas e linhas de raciocínio que serão úteis nos cursos de mestrado e doutorado.

Portanto, prefira fazer parte de grupos com os quais você tenha afinidade com o tema. É claro que você pode mudar ao longo dos anos ou fazer um mestrado em outra área, mas é um momento de experimentação importante para ter mais certeza sobre o seu futuro!

 

2. Publique artigos ou apresente projetos em congressos

Nos grupos de pesquisa e de iniciação científica você desenvolverá artigos científicos e até grandes projetos, como robôs (a depender da área que você escolher atuar).

Portanto, não perca a oportunidade de apresentar o resultado desse estudo em congressos estudantis! Esses locais estão cheios de estudantes, professores e pesquisadores interessados no desenvolvimento de pesquisa no país, o que faz com que seja um bom lugar para networking e para expandir o seu pensamento crítico.

Além disso, ter artigos e projetos apresentados em congressos é um dos pontos avaliados pela banca examinadora em processos seletivos para mestrado e doutorado.

Ainda que não seja obrigatório, a participação é altamente indicada, tendo caráter eliminatório muitas vezes, já que a maioria dos seus concorrentes terão esse destaque no currículo profissional.

 

3. Esteja presente em congressos

Contudo, pode acontecer do seu projeto não ser selecionado para os congressos que você se inscreveu.

Nesse caso, não deixe de ir por isso! Como falamos anteriormente, os congressos são os melhores lugares para fazer networking, aumentar o seu conhecimento sobre algo e ter mais contato com a área acadêmica.

Aproveite a graduação para participar do máximo de congressos possíveis, e, se puder, não fique preso apenas a sua cidade, estado ou até país! 

 

4. Faça um mestrado e doutorado

Esse passo é indispensável, mas não custa salientar: faça um mestrado e doutorado após a graduação.

Ah! Uma dica: para se inscrever no edital para mestrado é preciso apresentar um pré-projeto de pesquisa. Portanto, comece a pensar nisso nos momentos finais da graduação.

Muitos alunos, inclusive, utilizam a pesquisa desenvolvida nos grupos de pesquisa ou iniciação científica para desenvolver a monografia e o pré-projeto. Isso é vantajoso porque você já tem algum entendimento do tema, facilitando o processo.

Ainda nesse ponto, não esqueça de se preparar para o processo seletivo. Normalmente, são várias etapas na qual a soma da pontuação obtida em cada uma é utilizada como critério de seleção.

No geral, as etapas são: avaliação de pré-projeto, apresentação para banca avaliadora do pré-projeto, prova de conhecimentos gerais e específicos e prova de língua estrangeira.

No entanto, essas etapas irão variar de acordo com o edital e a universidade escolhida. 

 

5. Tenha um plano de carreira

O último passo é ter um plano de carreira. Isso mesmo! A graduação, o mestrado e o doutorado são apenas alguns pontos para alcançar o sucesso profissional.

Se você quiser se destacar nos processos e se tornar um profissional de sucesso, pense quais são os seus objetivos e o que é necessário para alcançá-los

Por exemplo: você tem vontade de seguir a carreira internacional? Comece a investir agora em um curso de idioma. Pense também em quais universidades gostaria de fazer um curso de extensão ou uma pós-graduação sanduíche. 

Identifique também quais laboratórios ou centros de pesquisa você tem vontade de trabalhar ou fazer um estágio.

Não deixe também de fazer cursos complementares ao mestrado e doutorado. É possível fazer extensões para entender melhor os argumentos de determinado autor que é importante para o seu assunto de domínio.

 

 

Quais são as possibilidades dentro da carreira acadêmica?

possibilidades-carreira-academica

 

Ainda que a maioria das pessoas que desejam ingressar na carreira acadêmica tenham o sonho de seguir a docência, essa não é a única possibilidade que essa área permite.

Hoje, não é incomum encontrar empresas privadas que desenvolvem projetos de pesquisas internas para incentivar o estudo e a criação de novas tecnologias.

Dessa forma, ainda que o profissional tenha uma carreira voltada para a área acadêmica, com cursos de mestrado e doutorado, eles acabam sendo visados por essas empresas que querem se diferenciar no mercado por meio de investimento em estudos científicos.

Outra possibilidade de atuação do(a) pesquisador(a) é trabalhar fora de centros educacionais com consultorias. Afinal, esse profissional dedicou anos da vida estudando profundamente sobre determinado tema, fazendo com que fosse desenvolvida uma grande expertise acerca de um assunto. Nesse ponto, isso é possível tanto para o setor privado quanto para o público.

Mas, se a sua vontade é realmente seguir a área acadêmica, é possível trabalhar tanto como professor universitário, dando aulas na graduação e pós-graduação de universidades públicas e privadas; ou se tornar pesquisador(a) em centros educacionais, desenvolvendo projetos de extensão dentro de universidades e faculdades.

Ainda é possível seguir a carreira internacional lecionando em universidades de outros países, afinal, a área docente é famosa pelas especializações sanduíches, na qual o profissional inicia o mestrado, doutorado ou pós-doutorado em um país e tem a possibilidade de complementar a pós-graduação em outro, facilitando a construção de uma carreira internacional.

 

Carreira acadêmica no Brasil: como está o mercado?

como-esta-a-carreira-academica-no-brasil

 

Quem deseja ser pesquisador(a) e trabalhar em empresas privadas ou prestando consultorias, o mercado se mantém aquecido; principalmente porque pode ser  difícil encontrar profissionais com formação voltada para a área acadêmica que desejam atuar no mercado profissional.

Por outro lado, quem deseja atuar como pesquisador(a) em faculdades e universidades ou tem vontade de seguir a docência, é preciso ter um pouco mais de cautela no planejamento de carreira.

Nos últimos anos, o setor de educação pública no Brasil tem recebido cada vez menos investimentos. Assim, pesquisas deixam de ser viabilizadas e diversas bolsas fornecidas pelo CNPq e CAPES são reduzidas, tornando os concursos mais concorridos.

Contudo, isso não quer dizer que você precisa desistir do sonho da docência ou da pesquisa!

Hoje, o melhor caminho para quem deseja ser pesquisador(a) é investir em empresas privadas que incentivam a pesquisa ou ter uma base sólida de educação no Brasil, além disso, é possível investir na docência em faculdades e universidades particulares ou pensar em uma carreira internacional.

Portanto, apesar das dificuldades, o profissional que tem uma boa base educacional e investe no aprendizado constante ainda tem chances promissoras na área docente e na pesquisa.

 

Dicas extras! Saiba como se destacar nos processos seletivos

homem-alegre

Pronto para colocar em prática todas essas dicas e ingressar na área acadêmica?

Então confira mais algumas dicas extras para você que quer se destacar no processo de admissão e ingressar no mestrado

 

  • Tenha um currículo lattes atualizado

No mundo acadêmico, o currículo lattes é o mais utilizado para descrever as suas conquistas profissionais. Portanto, ter ele atualizado é fundamental para processos seletivos tanto em cursos de pós-graduação como para trabalhar em laboratórios, empresas e centros de pesquisa.

Nesse ponto, não esqueça de colocar absolutamente tudo sobre a sua trajetória profissional, não apenas os cursos de pós-graduação, mas também os congressos dos quais fez parte e os artigos que contribuiu (mesmo que como orientador).

 

  • Seja fluente em uma segunda língua

Ter o domínio de uma segunda língua é essencial em todas as áreas, mas principalmente na acadêmica.

Mesmo que você não queira seguir carreira internacional, em algum momento você irá se deparar com textos importantes para a sua pesquisa que ainda não foram traduzidos para o português. Além disso, nem todas as apresentações em congressos contarão com tradução simultânea para a nossa língua.

Por fim, outro motivo essencial é que o domínio de uma segunda ou terceira língua é obrigatório para a realização de um doutorado, por exemplo.

 

  • Tenha um mentor

Encontrar um mentor na graduação ou pós-graduação te dará mais oportunidades na área acadêmica. Afinal, essa pessoa poderá abrir portas dentro desse mercado, seja convidando você para fazer parte de projetos de pesquisa, apresentando a pessoas-chave para o desenvolvimento da sua pesquisa ou orientando você nos seus projetos.

 

  • Nunca pare de aprender

Por fim, não congele no tempo. Não fique satisfeito apenas com a graduação ou mestrado e alguns cursos extras.

A área de pesquisa muda constantemente, afinal, é uma das áreas com maior produção de conteúdo inovador. A cada ano novas técnicas, estudos e linhas de pensamento estão sendo criadas e atualizadas. O profissional que para de se atualizar perde espaço no mercado.

Agora que você já sabe o melhor caminho para se tornar um pesquisador(a), que tal colocar os planos em prática? Conheça os cursos de mestrado e doutorado da Unit.

CONHECER CURSOS

 

 

Gostou do conteúdo? Leia também:

Importância do segundo idioma: mercado de trabalho

MBA, especialização e mestrado: saiba como escolher a sua melhor opção

 

POSTS RELACIONADOS